Morri Na Forca!


19/03/2006


 

Língua de Trapo.

 

- Vai e verifica!

 

Velha louca!

Rouca, mas ainda grita,

Senhora Dona língua-solta...

Cala Boca!

 

Boca murcha,

Palavra frouxa,

Nariz de bruxa!

Senhora Dona Trouxa...

 

Ouvindo atravessado,

Da boca torta,

Orelha da porta,

Senhora Dona Recado...

De saia roxa...

 

Parasita do cochicho,

Batendo queixo,

Vira- lata-lixo,

Verme do Bochecho...

 

Cala Boca!

 

Vira-toca e mexeriqueira,

Senhora Dona Fofoca...

Velha galinha choca!

Ache quem lhe queira!

Senhora Dona encrenqueira...

 

Cala Boca!

...assim não fala besteira...

 

 

 

Este poema é direcionado a uma pessoa real. Idosos são os seres humanos que mais devo respeito.Embora este poema seja agressivo é descritivo também. Abraços. Forca.

 

Escrito por Morri na Forca... às 14h45
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Histórico